segunda-feira

121

Ok, o blog não foi só para conquistar corações das teen´s como disse aí algures... Testar também o meu talento na escrita deu-me alguma esperança mas, e como podem constatar, presentemente a escrita passou a ser a última coisa a fazer na minha mente (estou a pensar seriamente em vender o teclado)... Dou-me conta também que tenho escrito aqui episódios da minha merda de vida, e alguns foram bons porque levaram a elogios bastante emocionantes, e foram-no sem duvida... mas acho que não passaram de vulgares delírios no seguimento da absorção de substâncias coloridas e as consequentes avarias na tola. Na verdade, três quartos da porcaria que tenho posto aqui, nunca ia ter coragem de dar a ler aos meus amigos.... e foi tanta tanta que chamou as moscas, ou melhor, dei razões ao Google para me trazer aqui visitas com pesquisas do tipo:

"queria saber se a vagina cabe uma mão inteira"
Você tem uma? Experimente... Claro que cabe, a vagina é um milagre da natureza!)

"TOQUEI NAS MAMAS da minha namorada e ela atingiu o orgasmo"
(Lol...Sortudo, porra!)



"falas que exitam"
"excitar rapariga por mensagem"
"como excitar gaja por telemóvel?"
"mensagens que excitam os nossos companheiros "
etc, etc...

(Este tema tem demasiada procura e deu-me ideias; estou assim a pensar em realizar um estudo de mercado sobre a viabilidade de um serviço de "excitamento" por telemóvel, e sedução virtual, adultério etc...principalmente para mulheres. As mulheres gostam mesmo das palavras de amor para as provas de amor, não é?)

"boa E FODILHONA"
(compreendo pah! As duas em simultâneo é difícil de achar...mas se por acaso a tua busca foi bem sucedida, se encontraste alguns exemplares de tal espécie, agradeço essa informação na minha caixa de correio, pf. )

"fodilhona flexível"
(Não sei pk procurar. Há imensas destas, é uma espécie comum)

"os gemidos exitam um homem ?"
(Claro que excitam moça!...Gritos também, e até certos ruídos com cheiro.... mas sem gemidos também pode ser muito intenso, dá para concentrar mais nos outros sentidos)



"penetracao na garganta"
(se for penetração, aconselho Deep Throat, um filme porno de grande sucesso e com imagens explícitas)

"Que fantasias tem o sexo masculino?"
(minha cara, suponho que o seja, as fantasias dos homens são tão numerosos como homens há no planeta. Para alguns, personalizar o automóvel com luzinhas de árvore de natal é um prazer... para outros, será cruzar-se com a Sasha Gray num elevador...e tantas mais. E só falo aqui como heterossexual. Isto já lhe dá uma ideia da extensão das fantasias masculinas. São imensas!)

"quero saber os sitios mais que as mulheres se eçitam rapidamente"
(Damn...que  analfabeto! Que tal corrigir primeiro a ortografia?)

"you tuby mulheres á vontade"
(memo memo à vontade?! Prepare-se para sangrar.)

"fode-me na floresta"
(Amigo/a, na floresta o sexo é bom mas pode rapidamente tornar-se numa longa corrida de obstáculos. Coragem pois!)



"animais transando com mulheres"
(Este/a não podia ser melhor sucedido...não que tenha algum preconceito mas é o lugar errado, tente o blog ao lado.)



"adoro ser cabrão e ver a puta da minha esposa a foder com outros"
(E então, foi difícil de encontrar? Penso que para isso nem precisa de Google)



"mulheres a comer esperma"
(???!!!... a comer?!...lol)



"enfiar vela no cu"
(Suponho que è para ter luz quando você as apaga, não?...I like it... mas sou mais adepto de ferramentas de metal)



"polaca nua"
(Ah...como estas palavras são doces para os meus ouvidos ... minha Polaca não mais a vi mas estará em algum lugar e eu estou feliz que ela exista.)

"as mulheres gostam mais de foder de manha ou à noite?"
(Pobre idiota! Você não está realmente a viver.)

"a minha mulher não me deixa ir ao cu."
(Relaxe!...Anestesia, ou muita paciência, e vai conseguir)

E mais havia, mas chega..
Alguém agora me pode explicar isto? Não é nada contra o Google, é a invenção do século, sempre que quero saber algo uso e encontro a resposta. Ok, escrevi muita merda, e merda atrai as moscas... mas escrevi-a ponto final... Agora nem isso...
Era uma forma de narcisismo para mim, porque eu às vezes venho ler-me só para ver se os níveis de loucura e consciência estão nos valores aceitáveis.... mas, sobretudo, é o fruto de uma energia canalizada para mostrar-vos a parte hardcore de mim, e por isso às vezes era "bonito"...lol.. mas noutras a coisa altera-se e o blog não mexe mais.
E era só  isto.. por agora não tenho mais nada a dizer-vos.

Chuva, podes vir...

quinta-feira

120

As despesas com preservativos, ou com "gaja" insuflável,  servem para reembolso no IRS?

sexta-feira

119

Ter tesão ou não a ter é o que basta para deixar uma gaja fodida.

segunda-feira

118

Com uma barba de alguns meses, hoje interessam-me mulheres de 40, 45 anos. Esta é a minha descoberta do dia, espero que aproveitem... :)
(foto do livro "Possessions" de John Hedgecoe)

sábado

117


Tehmina Sunny - Elevator (2011)
Espero.
A porta abre-se, eu entro.
A porta fecha-se, eu sigo.
A porta abre-se, ela entra.
A porta fecha-se, nós seguimos.
A porta abre-se de novo, ela sai.
Provavelmente nunca mais a irei ver.
Amanhã será outra...outra estranha, outra desconhecida.

Assim é a minha vida movida pelos fios - cruzo-me com pessoas sem querer.



E isto é tudo por mais uns tempos. Bye!





domingo

116

Ela liga-me e 10 segundos depois...
- Apeteceu-me provocar-te com a minha voz,  minha boca, deixar-te louco e duro com vontade de esfregares esse pau nas minhas mamas.
A sua voz é bonita e sexy... Diz que fez uma pausa no trabalho para me ligar....
- Precisamos de nos fazer vir um ao outro ... AGORA!..
Ok...Estou a acaricia-lo e com estas coisas facilmente me deixas duro,...tem já uma gotinha de liquido na ponta e agora vais fazer exatamente o que te digo para fazer, certo?
Esfrega o teu clitóris com uma mão e com a outra enfia um dedo dentro de ti... Quero que provoques esse teu cú como eu gosto... mete um dedo e depois dois, tão profundamente quanto consigas.
- Sim,  vou faze-lo.
- Estou quase a vir-me... (está a respirar com dificuldade, geme...)
- Diz-me como gosta do meu pau ... que o sentes endurecer dentro e que precisa de uma carga enorme do meu esperma na tua boca.
Devemos vir juntos, digo-lhe.. mas aqueles gemidos, a imagem dela - e a vontade de sentir a sua boca e vagina a espremer-me a verga querem enviar-me já borda fora....tento aguentar...abrandar .... mas ela não deixa...
Aproximo o mic do auricular e dou-lhe o ruido do meu bombar,  mais e mais rápido...e digo-lhe que estou prestes a explodir.
Ela geme nos meus ouvidos... Gosto da ideia de nos vir-mos juntos, no mesmo momento, com centenas de quilômetros a separar-nos..
Ela continua com a respiração dificil e acaba com gemidos suaves e macios.... humm..
- Oh meu Deus...Vim-me!
- Eu tambem!...
E ficamos os dois um pouco a tentar voltar a respirar normalmente...
Disse-lhe que espirrei esporra por toda a parte ... tenho uma grande porcaria aqui para limpar e tu um seminário para voltar... e os dois rimos.
Uhhhh!!! Está tão molhada... deste-me um orgasmo delicioso - disse-me e quis saber se eu gostei tanto como ela..
- Oh meu doce, eu adoro como de costume....e tanto que já hoje antes do almoço me tinha masturbado a pensar em ti....e a pensar que te fodia já me vim duas vezes em tua honra...Sabes bem que sou capaz de te foder uma duzia de vezes ao dia...
- Ahah...eu sei mas se estivesse-mos sempre juntos depressa te cansavas de mim ...
Diz-me que está atrasada ...
- Tenho de ir, ligo-te mais tarde ... e desliga.
Recebo uma mensagem de texto segundos depois, "WOW". Ela disse: "WOW".

É por isto que muito de vocês (eu incluído) têm experimentado orgasmos via phone. Eles são rápidos, fáceis e,  ao contrario dos online, evitam escrever texto com a mão esquerda.

115


Volta Cab - Trapped In Illusion

quarta-feira

114

Os taoístas dizem que podemos converter a nossa energia sexual em energia criativa, todavia, as minhas "criações" nada fizeram para diminuir os meus impulsos... penso que queriam dizer fricção (fricção genital).... Preciso disso urgentemente com uma menina nova para limpar o meu sistema.
Alguma das muitas que me lêem quer "fazer amor" (mesmo sem amor ...), apenas fricção genital?
Alguem partilha isso comigo?...Apenas isso. Eventualmente alguns livros ou musica e nada mais!... Não me vejo a compartilhar a conta do gás, crianças ou cães.

segunda-feira

113

Foda-se!
Percebi, há cerca de trinta minutos, que sou definitivamente um gajo de idade. Sinto-me velho. Onde está a vitalidade de outrora, que me permitiu estar com 2 gajas ao mesmo tempo????

Os meses passam antes que eu dê por isso. Passam apenas foda-se.... Dizem que quanto mais velho se fica, mais depressa o tempo passa. Vocês acreditam em mim se lhes disser que até ontem cenas alusivas ao Natal ainda dominavam na minha sala?

Então, adeus, fiquem bem, volto em breve.

domingo

112

São raros, muito raros dias como este onde me sinto terrivelmente em baixo.
Parece que atravessei o Atlântico a nado, cansado demais para pensar, cansado demais para me mexer, e até mesmo cansado demais para dormir. Sinto-me oprimido por um desgaste enorme no cérebro, como se os neurónios se estivessem a foder uns aos outros, o desejo está abaixo de zero e a inteligência da espessura de uma fatia de fiambre, finíssimo...



oh foda-se...

sexta-feira

111


Após alguns minutos de ausência  regresso em perfeita harmonia Shaolin, da qual lhes deixo aqui uma breve introdução (para que conste já era fã de Bruce Lee antes)... Também gostava de perguntar às minhas milhões de fãs se debaixo dos vossos vestidos leves têm usado muito o cinta-liga ultimamente.

Sim?, Posso ver?...

sábado

110

O blog já estava como os peixes aí do lado ou seja, moribundos! Fuck..!

Criei-o para conquistar “os corações” das meninas no limiar da puberdade, que começam a molhar a cuequinha quando sonham serem fodidas romanticamente, por achar que as meninas da minha idade são velhas demais para mim...
Não. Não é de uma amiga que preciso!.. E antes que fiquem animadas a pensar que mereço a pena de morte por tal fetiche, vou explicar: Na minha cabeça ainda estou na parte inicial dos meus vinte anos ou seja, tenho alguma dificuldade em enfiar na cabeça que já estamos em 2010, por isso, não me interpretem mal, não sou um psicopata canalha com distúrbios mentais, o que procuro é mais uma coisa do tipo duelo sangrento, uma guerra de gerações, uma cena de sexo sem hostilidades onde quem vencer é o melhor! Perceberam? (Pronto!..Já as vejo suspirar de alivio e com um sorriso de piedade no rosto como uma tia que me entende). O problema é que até agora esse objectivo tem-se revelado um perfeito malogro!
Vale-me que existe um harém dedicado de mulheres acima dos 40, que me acham insuportavelmente irresistível e com sede de cada migalha que cai do meu teclado, mas, obviamente, há um ecrã entre mim e as minhas leitoras, coisa do tipo "gloryhole" ou seja, um buraco no monitor pelo qual passo a "coisa" e elas, do outro lado, absorvem sem sequer saberem de quem se trata. Oh as virtudes do anonimato... Confesso-vos tambem que, e para não se sentirem tão solitárias no processo, já pensei em adicionar ao perfil uma foto do "zécão" mas o quadradinho é pequeno demais, e até, ocasionalmente, gostaria mesmo de poder apresentar-me inteirinho como realmente sou! Mas Bukowski, o meu outro professor, disse que na mulher "a ficção é melhor que a realidade", ora isto diz tudo... Depois, a sinceridade é um jogo fodido onde frequentemente se tem mais à perder que ganhar, é mais ou menos como em politica. Percebem?
Mas voltando ao essencial, como podem ver/ler, sofro de um bloqueio criativo há muito tempo, mas agora piorou. Inspirem-me então! O que gostariam de ler sobre mim? Dêem-me um cenário, um assunto para as minhas cabeças.... Vá lá, eu adoro-as mulheres, e não acho que precise ser mais específico quanto a isso... Façam-me quase desejar tê-las ao meu lado para nos divertir-mos enquanto a minha "menina" estiver desaparecida. É um desafio... :)

quarta-feira

110

10
9
8
7
6
5
4
3
2
1
... Aguardem!

quinta-feira

Mastrix aderiu ao Facebook!

Yesss!
Encontra-me no Facebook, torna-te minha amiga (*) e terás direito a ver o meu perfil (sim, incluindo o que estás a pensar!) e a trocar os olhos com as minhas fotos, a cores e muito mais. Se fores minha amiga terás garantida felicidade na vida, mesmo que já sejas crente (Jesus nunca teve Facebook). Só podes dizer "Eu gosto" quando escrever lixo, ou enviares-me uma mensagem para nada.
Enriquece a tua emocionante vida sendo minha amiga no Facebook....uuhhh!!

Estás à espera de quê?..... Vai! Naturalmente vai doer!

(*) Só mulheres bonitas, realizadas, gostosas, incríveis, princesas misteriosas, solitárias... Riight??? Para o resto...Bêbadas, levantadoras de peso, estúpidas ou oprimidas só pelo "desejo de acasalamento" não dá!

segunda-feira

109

quarta-feira

108

- (...)Quero mostrar-te uma coisa.
- Agora, às cinco horas da manhã?
- Há coisas que podemos ver no escuro (...)

Carlos Ruiz Zafón, A Sombra do Vento (2004)

terça-feira

107




Será por via do calendário Maia que vamos ser destruídos em 2012?
O calendário Maya termina de facto em 21 de Dezembro de 2012, provávelmente por falta de papel, ou porque os invasores não lhes deram tempo para o continuar. O que tenho ali na parede termina antes, já em 31 de Dezembro de 2009.

Hummm, Está a parecer-me que no meio da crise a "indústria" do fim do mundo está próspera.

quinta-feira

106

Estou a deixar o mundo passar, a ideia é da Venus não minha, é necessário acreditar que depois de passar (o mundo) as coisas melhoram, mesmo que já não seja humano. Deve ficar-se com uma sensação de leveza... assim como deitado numa cama azul sem tocar o solo.
Acho que muitas outras imagens devam surgir… e musica tambem...é muito animador!

Agrada-me a ideia. :)

sexta-feira

105

A minha ausência aqui traduz-se no meu sentimento de insuficiência com o mundo, mas sobre isso não interessa falar porque para vocês não tem interesse nenhum…
Pelo menos ainda há coisas bonitas que me geram uma espécie de casca protectora, e os acasos da web levam-me por vezes “a cair” com a alma e os olhos em maravilhas como esta:



Mas falar-vos de dança? Eu??
Sim!
Do céu a dançar... do perfume da representação numa atmosfera de doce azul...Um fabuloso MIDSUMMER NIGHTS DREAM, sem duvida!

Magnifico Ana!
O público decerto esperou o final para te manifestar o merecido reconhecimento. Eu, como não o pude fazer (o odor dos teatros começa a faltar-me terrivelmente), utilizo aqui a minha “parede” (nada adequada...sorry) para manifestar a (humilde) opinião que não pude reter...
Espero que não te importes, grande bailarina!

Olhando-te ainda e ainda, mais e mais... tenho a impressão que a bailarina é, ao mesmo tempo, a dança e a música... A tua fabulosa interacção faz com que cada movimento seja de uma suavidade e precisão que me deixa como menino embalado na canção que a mãe me cantava, sorry, não sei como dizê-lo de outra forma… Cada pedacinho de ti em harmonia completa com os sons, uma espécie de união perfeita do corpo e alma... Diria mesmo que é essa capacidade que te permite estar bem aqui ou em qualquer “estilo”... Engano-me? Penso que não! Só vocês, as grandes, muito grandes, podem chegar a um compromisso gestual desta qualidade.

A ti, linda mulher que dança, o meu aplauso e admiração!
Obrigado por este momento...

Gostava da vossa opinião… Não hesitem e digam-me o que pensam!

sábado

104

Bom. Escrever é coisa que não faço há bué, primeiro porque ando ocupado. A crise acabou por me trazer mais trabalho...Ok ok, não é razão... A razão fundamental é porque a gaja que arrasto comigo há uns tempos já me faz duvidar da minha capacidade de pensar...Não sou capaz de me concentrar noutra coisa. Fui subjugado! Quebra-me o coração cada vez que chora... Além de me fazer rir. É a mulher da minha vida! Com a foda matinal, posso dizer-vos que o meu dia fica logo aí bem preenchido, com a da noite fico completamente esvaziado...
Resumindo, abandonei esta minha existência virtual devido a uma vida cheia de vida... Mas agora, a pensar, apercebo-me que nem tudo está bem... Tivemos hoje uma pequena discussão sobre a cor das paredes do apartamento, mas no fim, lá acabei por ceder na cozinha amarela.... Isto não é um bom presságio, sem ela a escrita neste blogue teria sido muito mais laboriosa. Na verdade, creio que é tempo de impor as minhas exigências, é tempo de reflectir com a rapidez do fakir a trote sobre as brasas ardentes... É tempo de escrever grandes mentiras como se de grandes verdades se tratassem e que me permitirão agir com a certeza do verdadeiro inventor. Na verdade não importa, pois não?
É preciso é que escreva algo sexual para não perder a vossa atenção (!).

103

Vamos supor…
Um “indivíduo”, ou melhor, um gajo (para não lixar o blog), vive em sociedade com outros gajos. Um dia o gajo é vitima de violência desses outros gajos. Apela à razão, ao diálogo, tenta alterar o comportamento desses gajos para com ele, mas os agressores têm o coração duro e não resulta… O que fazia o gajo? Bem, como se define na Constituição da República, recorria à justiça, ia á polícia, e em seguida seguia a via dos tribunais para regular o problema. Era isto não era?
Pois era... Era mas parece que já não é!
Agora, uns outros gajos, cagaram para a CR e criaram “regras” – leia-se tabela de preços - e a justiça passa a ser um luxo a que o gajo não se pode permitir, logo a lei fica do lado dos gajos agressores, certo?
Que resta então a este gajo como solução? Cruzar os braços e esperar pela justiça divina? Essa o gajo sabe que é mais lenta ainda e continuará fodido o resto da sua vida. Assim, nada melhor que utilizar a força e a violência como único meio que lhe resta para obter justiça. E tem de ficar mais violento, mais agressivo, mais impiedoso que os seus adversários se quiser poder um dia melhorar a sua condição.
Sou um gajo de paz . Mas numa situação onde a única solução que me resta, para restabelecer o equilíbrio, é a de ser mais violento que os meus adversários, não vou hesitar!
Apetece-me fazer uma pergunta a estes “iluminados”...
Senhores, legalizaram a violência?
Sim, porque para dizer-se que é crime é preciso primeiro que a justiça seja acessível a todos os gajos do reino.

segunda-feira

102





SCINTILLATION - Xavier Chassaing








Justine Joli by Clayton Cubitt

Um pequeno momento de beleza... (aproveitem porque é raro)

terça-feira

101


Para aqueles que não estão familiarizados com a mitologia grega, Tirésias foi transformado em mulher por ter morto a cobra fêmea... Uma amiga dizia-me ontem que gostaria de ser homem por um dia. Nada de novo... na literatura e cinema o tema já foi amplamente abordado mas sempre de forma bastante leve, e sempre em tom de comédia.

Mas falemos sério; O que acontecia se vos fosse dada a possibilidade de alternar os vossos órgãos por uma semana (o cérebro, não entra). Digo uma semana, porque apenas um dia não me parece suficiente para dar ao pensamento a experiência eficáz.
Então, moços, no 1 º dia acordam e nem sinal de pau, nem bolas... testosterona reduzida ao nível zero. Em vez disso, no seu lugar existe agora uma nova e bela vagina, lizinha ou peluda conforme o gosto, equipada com um belo e funcional clítoris. E também.. olhem bem, mamas...belas mamas. Uuuhh..Nice!
Meninas...
Agora que tem a coisa pendente entre as pernas, ela ficou erecta e procura uma casa acolhedora, vão fazer o quê? Realizarem-se imediatamente e aceitar naturalmente o que aconteceu? Ou, pelo contrario, vão esperar algum tempinho para dar uso ao vosso recém equipamento? E por quanto tempo? E saberão vocês, na presença da "fenda", dar o mergulho?
Não me vou estender nisto... Quanto a mim, como gajo, tenho alguns pensamentos especiais. No cenário de hoje, serei uma mulher, mas com o mesmo cérebro... E agora vem as duvidas: Seria eu capaz de chupar um pau? Fazer deepthroat? Deixá-lo encher-me a boca de esperma? Engolir?.... Sim porque estas são todas as coisas que eu posso esperar que uma mulher me faça... Faria eu o mesmo?
Iria eu deixa-lo foder-me e rebentar o meu selinho. Sim porque é novinha. Nunca foi usada... No meio de tantas dúvidas sinto que preciso de um orgasmo agora, vocês sabem... Permitia eu deixá-lo foder-me o traseiro?
Namm!

Será que todas estas dúvidas surgem apenas por eu ser homem e a minha experiência ser apenas com mulheres?
Apetecer-me-á procurar uma relação lésbica? Pensando bem, sim!.... e parece-me ser esse o unico apelo.
Mulheres (agora homens), sentem vocês também a vontade de fazer o gay da coisa? Afinal de contas, a maior parte da vossa experiência foi com os homens.

O que pensam?
É a pergunta. :)

quinta-feira

100


Caro blog:

Ultimamente não tenho tido muito tempo para te dar a atenção que me mereces.
Declínio da actividade sexual?
Não! Vai tudo bem. Sorte para mim...
O trabalho, chicotadas em mamilos, brincadeiras com gelo ou velas de cera, a minha "Striper" e os seus belos broches para terminar os longos dias tem-me mantido ocupado... Algum anal mas pouco. Ela teve tanta lavagem cerebral social que não lhe permite desfrutar plenamente da coisa em toda a sua extensão o que significa que, este ano, os planetas devem estar alinhados para broches porque mais de 2/3 do sexo é oral. Assim muito esperma lhe tem corrido pela garganta. Se considerar que uma ejaculação minha contém em média cerca de 10cc ou seja, uma colher de chá, e multiplicar isso pelo número de broches que ela me fez, o volume total dá cerca de um litro... foda-se, é muito!!
Naturalmente que descrever aqui tanta deglutição seria monótono, e porque não dizê-lo, nojento. Não para mim que sou um "analista", mas para os milhões de mulheres que me lêem. (Felizmente que a maioria não pensa como eu mas apenas nas pequeninas doses, porque temo que mudariam a perspectiva da coisa e teriam ainda mais dificuldade em engolir).

Mas caríssimo blog, mesmo a este ritmo lentinho atingimos o post 100... Será que significa que somos melhores do que alguém com 69?... Não sei, pergunta por aí...

Mas bem, mesmo sem nada te dizer há muito tempo, gosto de te ter para te contar as nuances de cada mulher que esteve ou está comigo e assim, achei melhor continuar a manter-te porque estou certo que ainda temos muito a dizer um ao outro, mas isso serão histórias para outra altura. Veremos como as coisas correm.

99

A vida real e os seus imperativos fizeram com que deixasse acumular poeira aqui ultimamente (o que não é grave, basicamente). Trabalho, deveres, festas, a colecção de aranhas venenosas e, sobretudo, a mudança de bunker, que ocasionou a interrupção do serviço de Internet durante alguns dias! E se tudo não fosse suficiente fui também convidado por sua majestade, a gripe, a ficar doente também. E quando estou doente, fico quieto para fazer o mínimo esforço possível. Ainda estou abalado... Felizmente, as coisas remediaram-se e posso retomar a minha vida virtual tão excitante.

E hoje, por um momento, pensei em fazer aqui algo de original, mas acho melhor não, abandonei a ideia de contar aos milhões que por aqui passam as minhas decisões para 2009. E assim, com um pouco de desfasamento temporal, desejo a todos a concretização dos vossos sonhos, projectos, sobressaltos, saltos, histórias de sexo, de coração, de alma, wathever..., Se não excelentes pelo menos boas, e que aprendam um pouco com tudo, e sobretudo muita vida.

Que raio queria dizer mais?!… era tão inteligente que esqueci.

98

(foto: Irakly Shanidze)


Blog fechado por uns tempos devidos a trabalhos e como alguém disse "O trabalho é o inimigo da inspiração"...
Chegamos a Dezembro…
Ruas iluminadas… A corrida aos presentes começou… As crianças expressam desejos com cartas ao pai-natal...
E vocês? Como fazem?
Se eu pudesse satisfazer um dos vossos desejos (eróticos, obviamente:), qual seria?
Ousarão revelá-lo aqui ou preferem num e-mail privado?

sábado

97

(Continuação)Foi por acaso que descobri o ponto sensível da M, aquele em que não sentia prazer se não fosse suficientemente humilhada.
Uma noite telefona-me com voz trémula dizendo-me que estava muito doente, de cama. Que precisava de mim perto dela. Ora aqui o pobre gajo, fodido com mais dia de trabalho, precipitou-se logo em ir ao seu encontro afim de a consolar: Foda-se! Tudo o que precisava era de um regenerador sono, mas ouvir a sua voz em sofrimento fez-me compreender o quanto estava unido a ela…. E lá fui. E foi com um espírito de super-herói que lhe toquei à porta naquela noite. Mostrei-me inicialmente amável, ouvindo e sorrindo. Cinco minutos depois, dei por mim a pensar muito seriamente: "Tás doente o caralho!...". Perante o seu estado geral, ela me parecia melhor que eu. Tinha brincado comigo ao simular no telefone que estava muito doente para que acorresse à sua cabeceira para a consolar, esqueceu-se foi de mencionar o tipo de consolo que queria, é que de doença nem sintomas, apenas um furioso desejo de ser fodida, enfiada numa camisa de noite opaca e longa, tão feia que nem os hospitais no Afeganistão ousariam impô-lo às suas pacientes. Ignoro o motivo que a levou a enfiar-se naquilo, nem mesmo onde a podia ter comprado, mas tenho de admitir que era claramente a vestimenta perfeita para a personagem do pequeno teatro que comigo queria fazer, e provavelmente o único artifício que tinha à mão para me justificar a súbita doença.
Gosto de foder gajas, alarga-las, preenche-las, massacra-las... Mas sempre tive horror que me tomassem por otário.
Dilema entre os meus (dois) cérebros: O 1º, o de cima: devia ou não devia render-me aos seus caprichos? mas de imediato, o 2º, aquele ao nível do meu baixo-ventre, cai sob o encanto de tanta… estupidez e rapidamente fico magnânimo; M era terrível, tipo versão adulta da criança travessa. Como não perdoar-lhe estes defeitos quando são encarnados com tanto amor e arte? Decidira finalmente contrariar o 1º e ficar. Na sequência, à bruta, levantei-lhe o horrível vestuário e deixo-o envolto e a apertar-lhe o rosto até quase a asfixiar enquanto lhe chamava cabra! Ela adorou.
Foi assim que descobri que M adorava ser a minha "coisa" e molhava totalmente à simples ideia de ser obrigada a fantasias perversas. E o amor com que o fazia agradava-me e excitava-me bastante. E assim, invisual e quase asfixiada, atingiu numerosas vezes o orgasmo naquela e outras noites.

A minha"descoberta" foi ainda reforçada por uma das suas confissões; o hábito, nas noites de celibato e de aborrecimento, de tomar de assalto via telefone, os quartéis de bombeiros e esquadras de polícia a fim de excitar com os suspiros das suas masturbações frenéticas os ouvidos dos diversos gajos de serviço. Eles ao que parece gostavam já que nunca a prenderam. Confessou-me mesmo ter o desejo louco de “aviar” um camião cheio de GNR´s e servir de receptáculo com todos os seus orifícios aos mastros entesados e respectivas algemas e cassetetes. Mas o seu gosto pela mentira ela o demonstrara mais uma vez, e deixa-me muitas duvida se faria realmente gang-bang com a companhia inteira das “autoridades”.

E deste modo, a nossa relação foi ficando progressivamente cada vez mais insalubre. Cada broche era precedido com alguns insultos e golpes violentos de pau na cara. Cada foda era depressa acompanhada por estalos também eles vigorosos nas nádegas.. Os bicos das mamas, ora eram beliscados com violência ou esticados ao limite com doçura e ternura.

Aqui entre nós, na época era um pouco estranho para mim viver aquilo, mas ler-lhe nos olhos a tesão quando o fazia dava um pouco de alma à obra, e o seu olhar quase que me suplicava que tinha mesmo de ser assim. Era cada vez mais necessário faze-la sofrer. Abusar!

Como os nossos corpos pareciam compatíveis, a nossa relação foi duradoura (94 dias). Tempo suficiente para apreciar os seus dotes na cozinha com excelentes receitas de batatas (fritas ou em puré) com ovos estrelados. Apreciei também em detalhe o poder de sucção da sua boca gananciosa, as mãos de dedos habilidosos e todo o seu corpo, em especial a bonita curva na zona dos rins ilustrada com um belo colibri. Sempre gostei de tatuagens na parte inferior das costas femininas, particularmente as que incluem caracteres legíveis... Servem sempre de distracção num “doggy-style” mais monótono….
Com o passar do tempo, os vizinhos começaram também a perdoar as manifestações dos seus orgasmos ruidosos, aos quais fui acrescentando sons de nádegas batidas ou chicoteadas, choques de corpos contras as paredes, portas a baterem às quatro da manhã ou ascensores bloqueados….
Resumidamente, M foi o meu “brinquedo” sexual por uns tempos. Aprendemos a conhecermo-nos, a compreendermo-nos, e a gostarmo-nos…
Agora dirão (oiço já as minhas leitoras mais sensíveis): Mas respeitaste-a muito pouco! És um canalha! Devias ter vergonha…blablabla! Na verdade, para vos ser franco, não sinto hoje nem nunca senti o menor sentimento de culpa pelos momentos na companhia de M…. afinal ela queria que fosse assim! Algumas aumentam o consumo de Prozac ou bebem para esquecer enquanto outras gozam com o aumento das mamas, ela satisfazia-se com maratonas de sexo e muitas nódoas negras. Nada a fazer!
Voltei a encontrar M duas ou três vezes no par de anos seguintes, agora mais “envernizada” (teria decerto encontrado no seu caminho alguém que sabia efectivamente vestir mulheres). Permanecia no entanto o pensamento lascivo e ainda obstinada com a esperança louca de uma vida a dois…
“Salva-me”, suplicou ela ao ouvido, encostando a sua face á minha. “Gosta de mim, beija-me”…
Recusei o “SOS”, satisfiz-lhe o resto. Depois, durante anos, perdi-lhe o rasto…

Seguiram-se tempos a apreciar a solidão, obviamente mais estáticos e menos vibrantes… Mas é fantástico, porque permite ler romances e ensaios inteligentes, reflectir sobre a vida e o nosso lugar no universo, de tentar compreender porque raio as extra-terrestres acamparam na Antárctida e não fazem contactos decentes com a nossa espécie…
E assim, como assim, depressa chegou Junho. Era tempo de passar para o campo 2 ou seja, o reencontrar  frescura em novos territórios de pele desconhecidos…
Estávamos então no inicio das novas tecnologias e com elas a novas obsessões consumistas, a democratização da internet, os chats com as salas “temáticas”, de encontros etc… Um mundo de "boys and girls" virtuais onde se improvisavam infidelidades e se espalhava erotismo e sexo sem o estar a fazer… Como odeio viver na ignorância, depressa me adaptei à coisa, curioso em testar com os “chips” a teoria da transferência do Freud e passar rapidamente a colocar a língua em peles finalmente salgadas… E sim o velho tinha razão! O estabelecimento de relações afectivas intensas entre humanos desprovidos de qualquer contexto de realidade, é um facto incontornável! Rapidamente me vi a observar a cor dos cortinados de algumas que, tal como eu, procuravam a “pequena morte” nestes campos virtuais… o que, se para mim foi bom, para elas veio contribuir ainda mais para o aumento daquela (tão feminina) dificuldade crónica na busca do príncipe encantado...
Mas disto é inútil falar, todas sabem como é certamente!


Ah sim, esquecia, M é hoje uma mulher feliz, mãe dois filhos e casada com um amigo meu.

sexta-feira

96

Lucros extraordinários da GALP:
-Uma subida de 159% no 1º semestre de 2008
-Empresa não paga "Taxa de Robin dos Bosques"
-E governo ainda lhe "oferece" €212 milhões de IRC (ler mais...)
Opá! Que empresas com a economia em crise se podem elogiar de fazer tais lucros durante um semestre?
E para não falar na sua contribuição para os biliões e biliões de partículas tóxicas que deixa em suspensão no nosso ar amado...
Fui fabricado para fazer sexo e não devia fazer (nem pensar) em mais nada que isso... mas ao ler coisas destas, o neurónio que aqui permanece, fáz-me pensar que há por aí gajos que, no que toca a foder o Zé povo, não respeitam nenhum limite e não lhes falta divertimento...
Parabéns ooh Xr. Amorim e C&a!...e à vossa Galp bordel.
Certamente não somos os únicos, dirá.
Pois eu sei! Mas cuidado meus caros (caríssimos).... com tanta berlaitada no Zé ele ainda abre os olhos e vos solta os cães e depois podem vir a sofrer uma inflamação aguda crónica nesses vossos gananciosos testículos.
E para terminar, enquanto uns citam cantores, eu muitas vezes cito escritores porque tenho a impressão de que eles falam por mim... Aqui deixo mais um que todos conhecem mas poucos lêem:

"O Estado é o mais frio dos monstros frios. Ele é frio mesmo quando mente; eis a mentira que sai de sua boca: "Eu, o Estado, sou o povo". Mentira. Os criadores formaram os povos e desenrolaram sobre suas cabeças uma fé e um amor; eles serviram a vida. Mas os destruidores puseram armadilhas para a multidão, é o que eles chamam Estado; eles puseram sobre suas cabeças uma espada e cem apetites. Se ainda existe um povo, ele nada compreende do Estado e o odeia como um pecado contra a moral e o direito. (…) Cada povo tem seu idioma do bem e do mal e o povo vizinho não o entende. Mas o Estado sabe mentir em todas as línguas do bem e do mal e em tudo o que ele diz, mente e tudo o que possui, roubou. Tudo nele é falso; ele morde com dentes falsos, até suas entranhas são falsas.
Nietzsche, Assim Falava Zaratustra

95

Estes tipos andam a pensar em grande.

quinta-feira

94

(continuação)
M tinha mais alguns atributos sexuais que me divertiam, outros nem tanto. Como reforço da introdução anterior irei descrever alguns com maior rigor.
Retrato físico, em pé: altura média, seios médios, cintura média, ancas médias. Uma gaja como qualquer outra portanto. Retrato psicológico: frustrada sexualmente, muitas aventuras com experiências pouco ao seu gosto, e desejo de recuperar tudo o que perdeu sem alguma vez o confessar... O tipo de mulher que sonha em mostrar-se nua sob a luz acesa mas não ousa, então, em cuequinha e sutiã, ligava as luzes de todas as divisões da casa, excepto a do quarto, e deixava todas as janelas abertas de modo a deixar-se ver bem. Mulher complicada como se vê, a que não assume de vez o facto de ser uma grandessíssima puta e uma completa exibicionista.

1º Atributo: Sem nenhum pudor; recordo-me que no nosso primeiro encontro afunda as mãos durante alguns minutos nos meus bolsos e vê o conteúdo, depois de feito o inventário escondeu as minhas chaves nas suas cuecas para me mostrar claramente a sua intenção de me fazer reavê-las...

2º Atributo: era vítima horrível de uma contradição interna. Queria-se mulher moderna, evoluída, independente dos homens e assumia-se muito bem assim, excepto na cama onde era necessário que fosse submissa o mais possível. Apreciava em particular as posições onde oferecia o seu corpo à disposição do macho: passividade era a sua aposta. Assim, bastante depressa se estabeleceu entre nós uma relação dominante/dominado, muito próximo do sado masoquismo...

3º Atributo: Não se vinha a não ser com uma boa quantidade de palavras porcas que era necessário ir-mos pronunciando progressivamente à medida da acção e que ela não dispensava também de pronunciar algumas ocasionalmente fora dela. Certamente, ao início, aquilo divertia-me, mas rapidamente me cansei do seu hábito de detalhar tudo porque se cai rapidamente num pingue-pongue de vocabulário. Contar fodas, diverte e excita. Fazer, é melhor. Fazer os duas coisas ao mesmo tempo, é um horror, porque às tantas na cabeça já nem se sabe o que se faz, nem o que se diz...

4º Atributo: Urrava como uma vaca... Sei que há entre vocês alguém que sabe do que falo, que tem um destes parceiros, que gemem ligeiramente durante a acção. É até natural, simpático e até acrescenta algo de erótico ao ambiente, evita ter a impressão de praticar um coito monótono com um pedaço de carne tépida, mas M passava a barreira do som, é verdade, literalmente…era pressentir que o orgasmo se aproximava, e urrava ao ponto de informar toda a vizinhança. Mas atenção, não com aqueles gemidos ou gritos de garganta agudos e excitados, nada disso. Assemelhava-se mesmo ao urrar de uma vaca. Acrescentava-lhe ocasionalmente, uma ou duas frases porcas do estilo "sou a tua puta, fode-me como fodes as tuas porcas gordas" e compreenderão assim a que ponto podiam ser lixados os encontros ocasionais com os vizinhos ao ser percorrido com os seus olhares como se estivessem diante de um exorcista.

Último atributo: M era uma daquelas mulheres que se preocupa com a dimensão dos parceiros. Comigo, tinha-se dado bem... infelizmente, tinha também o mau hábito de tirar medidas e fazer desenhos que guardava sob a almofada para as noites de solidão. Teve mesmo a intenção de ficar com a foto do meu “zecão”, recusei-lhe sempre esse prazer, consciente que estava mais apaixonada pela parte que pelo todo, e por vias disto, começava a encarar algumas "distracções" para a punir por este amor ferido.

(continua…)